Alimentação sustentável: como reduzir a pegada de carbono através da escolha dos alimentos?

Alimentação sustentável: como reduzir a pegada de carbono através da escolha dos alimentos?

Os alimentos que consumimos no nosso dia a dia fazem parte da nossa pegada de carbono e ter uma alimentação sustentável é uma forma de cuidar do planeta.

Quando falamos em alimentação sustentável levamos em consideração tanto os processos de produção quanto de transporte e preparo.

Neste post vamos falar sobre a emissão de gás carbônico equivalente de alimentos comuns na dieta dos brasileiros.

Você já deve estar imaginando como se configura esse gŕafico de emissões e quais são os produtos que devem ser priorizados para uma alimentação sustentável.

As frutas e vegetais são os que menos agridem o meio ambiente, seguidas do leite e dos ovos. Café, chocolate e queijo pulam para uma média de 19kg de CO2 equivalente para cada quilo de alimento produzido. Com um salto expressivo, a carne vermelha é o alimento que está no topo das emissões de gases de efeito estufa.

A produção de carne bovina é responsável por 80% do desmatamento da floresta amazônica. Além disso, a digestão do gado envolve a fermentação entérica, que libera o gás metano, outro gás de efeito estufa (GEE) que contribui para a poluição atmosférica.

Já o café tem o índice de CO2 equivalente associado ao uso de fertilizantes, que emitem o óxido nitroso.

Bom, já deu para perceber que a redução da pegada de carbono na nossa alimentação pode ser feita de várias formas e em vários níveis.

A segunda sem carne, por exemplo, é um movimento que visa reduzir o consumo de carne vermelha por um dia na semana, o que minimiza os impactos ambientais.

Outros aspectos relevantes para nosso dia a dia são a forma de preparo, gasto de água e energia elétrica, por exemplo, e também o reaproveitamento dos alimentos, evitando desperdícios!

Leave a Reply

Your email address will not be published.